Uma característica da sociedade moderna e que quase todas as pessoas estão quase todo o tempo compartilhando importantes informações de suas vidas íntimas no mundo digital, e sem preocupação ou cuidado. São fotos e vídeos de almoços e jantares em restaurantes, viagens, localização de casa, caminho do trabalho e compras e presentes como carros, roupas, eletroeletrônicos e até joias.

Assim, a pergunta que faço é, até que ponto compartilhar essas informações pessoais e financeiras é seguro e até que ponto ela não expõe as pessoas ao mundo do crime? É muito importante o debate sobre a segurança nas redes sociais, merecendo grande atenção e cuidado.

Atualmente problemas da segurança digital relacionados às redes sociais estão ganhando proporções cada vez maior. Sendo que são bilhões de pessoas que estão expostas a esses fraudadores. Um exemplo são os hackers (criminosos) que sequestram as contas de redes sociais de pessoas ou empresas.

Os riscos dos usuários são muitos e a facilidade com que esses hackers têm acesso a uma conta é grande. Esses problemas nascem de descuidos dos usuários, como quando acessam as redes sociais de locais com redes compartilhadas, como shopping center, praças públicas ou cafés, que não oferecem uma conexão segura. Com isso, as senhas das redes de relacionamento podem ser facilmente expostas e hackeada.

Lembrando que o pesadelo não consiste apenas no sequestro ou roubo de dados pessoas e na dificuldade de reaver a conta ou de ser monitorado 24 horas. São muitos os riscos como ter o nome ou a imagem envolvida em tentativas de ações criminosas, como golpes. Está cada vez mais comum casos de hackers clonando ou sequestrando contas e interagindo com familiares, amigos ou até mesmo com os clientes das vítimas, em uma espécie de marketing malicioso.

Assim, o hacker criminoso pode enviar links maliciosos para todos da rede de relacionamento de um usuário, em um ataque muito bem executado. Esse ataque pode também conter um Ransomware ou um malware, podendo até assumir o controle de um computador.

No caso de empresas, existe hoje uma grande preocupação de marketing nas redes sociais, porém não há uma preocupação se um funcionário fará esse acesso de maneira segura. E isso piora quando há muitos colaboradores com acesso a essas contas.

Nesse contexto de preocupação também é importante incluir a busca do Google e até o Google Adwords, que já é utilizado por criminosos que usam a ferramenta para infectar e para conseguir extorquir o usuário. Como pode ver, os riscos são muito, mas tenho 10 orientações para ajudar as pessoas a se protegerem:

1.Troque suas senhas periodicamente e procure criar senhas difíceis, nada de usar nomes, datas de nascimentos e sequencias simples (123456, por exemplo);

2. Tenha sempre autenticação dupla ou tripla em contas que possibilitam, também busque utilizar sempre ações de segurança por meio de SMS ou aplicativos do Google e outros. As próprias redes sociais oferecem essa possibilidade em suas configurações. Isso pode reduzir bastante o vetor de ataque;

3. Evite acessar essas redes usando computadores de outras pessoas ou coletivos e também fuja de acessos a redes públicas, e crie a regra: sempre que logar, deslogar;

4. Proteja sua localização, por mais que pareça interessante, evite marcar locais e lugares que frequenta e fazem parte da sua rotina

5. Muito cuidado com a imagem, evitando postar fotos e vídeos que revelem detalhes sobre a vida ou sobre a empresa;

6. Falando de empresas, sempre conte com auxílios de consultores em ciber segurança, para instalar as ferramentas adequadas e para orientar seus colaboradores sobre práticas seguras de marketing digital.

7. Não use seu nome completo, aposte em abreviações ou apelidos em casos de contas pessoais;

8. Cuidado com o clique, só entre em um link ou aperte um botam se for realmente seguro, evite clicar em tudo que aparece;

9. Os e-mails são ótimas portas de entradas para vírus e usam estratégias bastante atrativas, falando de multas e promoções. Cheque sempre o endereço de quem enviou o e-mail;

10. Converse com as pessoas próximas, deixe claro as formas que usa as redes sociais e estabeleça formas de contatos alternativas para casos de mensagens suspeitas.

Afonso Morais – Sócio Fundador e CEO da Morais Advogados Associados e especialista em combate a fraudes financeiras, digitais e em recuperação de crédito empresarial. 

 

 

 

Fonte: https://jornaldiadia.com.br/como-evitar-que-sequestrem-e-clonem-suas-redes-sociais/